16 de fevereiro de 2010

Água de reuso, uma solução para o meio ambiente e uma proposta de economia para as empresas.


Por Jorge Paulino
Engenheiro Eletricista

Algumas empresas começam a adotar a política de utilização do reuso de água, que também já está sendo implantado em algumas Universidades Públicas.
O Reuso Planejado faz parte da Estratégia Global para a Administração da Qualidade da água, proposta pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
No Rio de Janeiro, a UFRJ implanta o seu projeto de reuso de água, prevendo uma economia de R$ 80 mil por ano com abastecimento, a partir de um investimento inicial de R$ 15 mil. Segundo seu coordenador, o professor Isaac Volschan Jr, o projeto trará uma economia de 24 mil litros diários de água potável.
Desde 1980 a Sabesp recicla a água nas próprias instalações, o sistema foi adotado nas estações de tratamento de água que após todas as fases a água sai sem 98% das impurezas.
A água proveniente da limpeza dos filtros volta ao processo inicial, evitando com isso desperdícios e custos operacionais.
Atualmente, na Região Metropolitana de São Paulo, são reaproveitados 948 milhões de litros de água por ano. Os custos são reduzidos e variam de R$ 0,48 por mil litros para órgãos públicos e R$ 0,81 por mil litros para empresas privadas.
A água de reuso pode ser utilizada em descargas, irrigação de jardins e canteiros, limpeza de vias públicas, geração de energia ou em outros processos industriais.
Basicamente, as Estações de Tratamento de Esgotos (ETE’s) consistem em unidades de tratamentos primários, secundários, terciários para desinfecção do efluente e uma unidade para armazenar a água.
Cada litro de água reutilizado corresponde a um litro de água disponível para o abastecimento público, contribuindo para a preservação dos recursos hídricos, bem como redução de custos tarifários a prefeituras, comércio e indústria.
Empresas que prestam serviços de perfuração para instalação de tubos da Comgás também adotam  alternativa ambientalmente responsável.  
Em janeiro de 2008 a Sabesp e o Pólo Petroquímico Capuava deram início às obras para o fornecimento de 600 a 1000 litros por segundo de água de reuso para utilização nas torres de resfriamento e sistemas de caldeiras.
A Santher - Fábrica de Papel Santa Therezinha S.A. também utiliza 60 milhões de litros de água por mês.
A demanda por água no processo industrial é cada vez maior devido à expansão dos negócios e a busca por soluções ambientalmente corretas que atendam aos padrões de qualidade exigidos na produção.

Fontes:  Sabesp e UFRJ


Anexo: 


RESOLUÇÃO Nº. 54, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 – Estabelece critérios gerais para
reuso de água potável.  ( publicada no DOU em 09/03/06)


Estabelece modalidades, diretrizes e critérios
gerais para a prática de reuso direito não potável
de água, e dá outras providências.

O CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS-CNRH, no uso das competências que lhe são conferidas pelas Leis nos 9.433, de 8 de janeiro de 1997 e 9.984, de 17 de julho de 2000, e pelo Decreto no 4.613, de 11 de março de 2003; Considerando que a Lei no 9.433, de 1997, que dispõe sobre a Política Nacional de Recursos Hídricos e cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos-SINGREH, dá ênfase ao uso sustentável da água;
Considerando a Década Brasileira da Água, instituída pelo Decreto de 22 de março de 2005, cujos objetivos são promover e intensificar a formulação e implementação de políticas, programas e projetos relativos ao gerenciamento e uso sustentável da água;
Considerando a diretriz adotada pelo Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas-ONU, segundo a qual, a não ser que haja grande disponibilidade, nenhuma água de boa qualidade deverá ser utilizada em atividades que tolerem águas de qualidade inferior; 
Considerando que o reúso de água se constitui em prática de racionalização e de conservação de recursos hídricos, conforme princípios estabelecidos na Agenda 21, podendo tal prática ser utilizada como instrumento para regular a oferta e a demanda de recursos hídricos;
Considerando a escassez de recursos hídricos observada em certas regiões do território nacional, a qual está relacionada aos aspectos de quantidade e de qualidade; 
Considerando a elevação dos custos de tratamento de água em função da degradação de mananciais;
Considerando que a prática de reúso de água reduz a descarga de poluentes em corpos receptores, conservando os recursos hídricos para o abastecimento público e outros usos mais exigentes quanto à qualidade; e
Considerando que a prática de reúso de água reduz os custos associados à poluição e contribui para a proteção do meio ambiente e da saúde pública, resolve:

Art. 1º Estabelecer modalidades, diretrizes e critérios gerais que regulamentem e estimulem a prática de reúso direto não potável de água em todo o território nacional.
Art. 2º Para efeito desta Resolução, são adotadas as seguintes definições:
I - água residuária: esgoto, água descartada, efluentes líquidos de edificações, indústrias, agroindústrias e agropecuária, tratados ou não;
II - reúso de água: utilização de água residuária;
III - água de reúso: água residuária, que se encontra dentro dos padrões exigidos para sua utilização nas modalidades pretendidas;
IV - reúso direto de água:uso planejado de água de reúso, conduzida ao local de utilização, sem lançamento ou diluição prévia em corpos hídricos superficiais ou subterrâneos;
V - produtor de água de reúso: pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado,que produz água de reúso;
VI - distribuidor de água de reúso:pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, que distribui água de reúso; e
VII - usuário de água de reúso:pessoa física ou jurídica,de direito público ou privado,que utiliza água de reúso. 
           Art. 3º  O reúso direto não potável de água, para efeito desta Resolução, abrange as seguintes  modalidades; 
 I - reúso para fins urbanos:utilização de água de reúso para fins de irrigação paisagística, lavagem paisagística, lavagem de logradouros públicos e veículos, desobstrução de tubulações, construção civil, edificações, combate a incêndio, dentro da área urbana; 
II - reúso para fins agrícolas e florestais: aplicação de água de reúso para produção agrícola e cultivo de florestas plantadas;
III - reúso para fins ambientais: utilização de água de reúso para implantação de projetos de recuperação do meio ambiente;
IV - reúso para fins industriais: utilização de água de reúso em processos, atividades e ope rações industriais; e, 
V - reúso na aqüicultura: utilização de água de reúso para a criação de animais ou cultivo de vegetais aquáticos.
           § 1ºAs modalidades de reúso não são mutuamente excludentes, podendo mais de uma delas ser empregada simultaneamente em uma mesma área.
§ 2º As diretrizes, critérios e parâmetros específicos para as modalidades de reuso definidas nos incisos deste artigo serão estabelecidos pelos órgãos competentes.
Art. 4º Os órgãos integrantes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos-SINGREH, no âmbito de suas respectivas competências, avaliarão os efeitos sobre os corpos hídricos decorrentes da prática do reúso, devendo estabelecer instrumentos regulatórios e de incentivo para as diversas modalidades de reúso.
Art. 5º Caso a atividade de reúso implique alteração das condições das outorgas
vigentes, o outorgado deverá solicitar à autoridade competente retificação da outorga de direito de uso de recursos hídricos de modo a compatibilizá-la com estas alterações.
Art. 6º Os Planos de Recursos Hídricos, observado o exposto no art. 7º , inciso IV, da Lei nº 9.433, de 1997, deverão contemplar, entre os estudos e alternativas, a utilização de águas de reúso e seus efeitos sobre a disponibilidade hídrica.
Art. 7º Os Sistemas de Informações sobre Recursos Hídricos deverão incorporar, organizar e tornar disponíveis as informações sobre as práticas de reúso necessárias para o gerenciamento dos recursos hídricos.
Art. 8º Os Comitês de Bacia Hidrográfica deverão:
I - considerar, na proposição dos mecanismos de cobrança e aplicação dos recursos da cobrança, a criação de incentivos para a prática de reúso; e
II - integrar, no âmbito do Plano de Recursos Hídricos da Bacia, a prática de reúso com as ações de saneamento ambiental e de uso e ocupação do solo na bacia hidrográfica.
Parágrafo único. Nos casos onde não houver Comitês de Bacia Hidrográfica instalados, a responsabilidade caberá ao respectivo órgão gestor de recursos hídricos, em conformidade com o previsto na legislação pertinente.
Art. 9º A atividade de reúso de água deverá ser informada, quando requerida, ao órgão gestor de recursos hídricos, para fins de cadastro, devendo contemplar, no mínimo: 
I - identificação do produtor, distribuidor ou usuário;
II - localização geográfica da origem e destinação da água de reúso;
III - especificação da finalidade da produção e do reúso de água; e
IV - vazão e volume diário de água de reúso produzida, distribuída ou utilizada.
Art. 10. Deverão ser incentivados e promovidos programas de capacitação, mobilização social e informação quanto à sustentabilidade do reuso, em especial os aspectos sanitários e ambientais. 
Art. 11. O disposto nesta Resolução não exime o produtor, o distribuidor e o usuário da água de reuso direto não potável da respectiva licença ambiental, quando exigida, assim como do cumprimento das demais obrigações legais pertinentes.
Art. 12. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. 
                      MARINA SILVA                                                           JOÃO BOSCO SENRA
                                         Presidente                                                                    Secretário-Executivo
Autorizada a reprodução total ou parcial deste Artigo, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de trechos ou partes, em qualquer sistema de processamento de dados.

8 comentários:

  1. Passando para dizer que gostei muito da iniciativa do seu blog. Adorei a citação do José Saramago (vou roubá-la...). Obrigada por participar do blog VIVER ME DESPENTEIA. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Prezado Jorge,

    É com imenso prazer que seguirei seu blog, a fim de que possa adquirir cada vez mais informações para o nosso exercício profissional e/ou social.

    Parabéns pelas valorosas postagens,

    Cordialmente,

    Rogério Magno.

    ResponderExcluir
  3. Agradeço aos dois leitores, e o importante é essa troca de experiências entre os blogs.

    Abraços aos dois,

    Eng. Jorge Paulino

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Eu me chamo Tiago Dias e sou o dono administrador do Blog ATI&D – (Alta Tecnologia, Informação & Diversão) - http://www.siteatied.blogspot.com/ - e eu estava navegando pela internet quando encontrei o seu blog e percebi que ele é bem estruturado, qualificado e aborda um assunto interessante. Isso me levou ao interesse de criar uma parceria entre o Blog ATI&D e o seu blog para a Troca de Links, que irá beneficiar a ambos, pois o Blog ATI&D possui PageRank 4. Desta maneira estaremos melhorando o nosso status perante os mecanismos e motores de busca que nos enviarão mais visitas aumentando assim a nossa possibilidade de aumentar o nosso PageRank.

    Caso você esteja interessado em realizar uma parceria para Troca de Links com o Blog ATI&D, então adicione um Link do Blog ATI&D em um local “fixo” na página inicial do seu blog e me envie um e-mail como resposta com o endereço do seu blog. Em seguida irei adicionar um Link do seu blog na página inicial do Blog ATI&D concretizando assim a nossa parceria.

    Grato.

    ResponderExcluir
  5. Caro amigo seu link já esta anexado, agradeço os elogios citados no comentário.

    Abç

    Jorge Paulino

    ResponderExcluir
  6. Meu caro colega, gostaria de parabeniza-lo por mais este artigo, realmente muito interessante a proposta de reutilização das águas,realmente aqui em São Paulo e já a algum tempo a Sabesp faz um trabalho muito interessante de assessoria as indústrias,alguns prédios Comerciais e as Prefeituras.
    Gostaria de colaborar com um tema também atual e que vem complementar esse artigo, seria a captação das aguas das chuvas, processo que é usado no sertão nordestino e é uma fonte de sobrevivência daquele sofrido povo.
    Aqui nas cidades, essas águas são alimentações das enchentes e transbordamentos dos rios.

    Abraço

    Eng. Wanderson T. de Souza

    ResponderExcluir
  7. Caro colega Eng. Wanderson T. de Souza, agradeço o comentário e a colaboração com a proposta de tema.
    Suas intervenções e comentários são excelentes, gostaria de propor que o colega escreva um artigo, e eu terei uma imensa satisfação em publica-lo.
    Seria mais um colaborador na proposta de tornar os conceitos e temas ligados a Engenharia de uma forma fácil e descomplicada de entendimento.
    Fica aqui a minha proposta ao colega.

    Mas uma vez agradeço as intervenções e este Blog é para isso, um forum para trocas de experiências e de conhecimentos.

    Abraço,

    Jorge Paulino

    ResponderExcluir
  8. Caro colega, meu nome é Thiago Rodrigues e sou acadêmico em Engenharia Eletrica.
    Seu artigo contribui muito em munha pesquisa sobre ética dos Engenheiros, visando a responsabilidade com o meio ambeinte e reuso da água.

    Thiago Rodrigues
    Belo Horizonte

    ResponderExcluir

A Engenharia no Dia a Dia - No ar desde Maio de 2009

Navegando no Conhecimento

Top Sites Elétrica / Tecnologia

O Brasil Sustentável

Na Blogsfera

Mary PopPowered by BannerFans.com
create your own banner at mybannermaker.com!Quanta Besteira - Humor sem FrescuraCinema Jogos

Entre Amigos

Minha lista de blogs

Googlando pela Web

GOOGLE ART PROJECT Tour pelos Museus do Mundo GOOGLE MAPS Rotas, Ruas e Trânsito GOOGLE LIVROS Livros a um Clique GOOGLE SCHOLAR A sua Fonte de Pesquisa em Trabalhos Acadêmicos

Rodapé

Share |
original feed A Engenharia em Feed
Link-Me20 Minutos
This website has page rank 3. Information provided by WebmasterHandyTools.com Creative Commons License
Termos de Uso
Copyright © 2009 - 2010
Engenharia no dia a dia / por Engenheiro Jorge Paulino
Melhor visualizado com Firefox - 1024x768
<< Voltar ao Início da Página
Related Posts with Thumbnails