23 de novembro de 2011

Empreendedorismo Corporativo - Intraempreendedorismo, como fator de competitividade


Por Jorge Paulino
Engenheiro Eletricista e de Produção


A globalização vem mudando a forma das relações nas políticas de pessoal dentro das organizações principalmente com a incorporação de novas tecnologias e novos processos gerenciais. 

Devido as constantes crises econômicas mundiais e aos cenários competitivo global, o mundo corporativo busca a integração entre todos os funcionários e torna-os empreendedores.
Mas surge um grande desafio, como acompanhar e adaptar-se a essas mudanças e oportunidades.
O Intraempreendedorismo (Intrapreneuring, em Inglês), segundo o Wikipédia foi criado em 1985 por Gifford Pinchot III, significa empreendedor interno, ou seja, empreendedorismo dentro dos limites de uma organização já estabelecida. 

O empreendedorismo corporativo – ou o “Intraempreendedorismo” surge dentro da empresa como uma nova filosofia de trabalho, capaz de fomentar a iniciativa individual de tal maneira que os talentos identificados por suas idéias fazem a diferença, na capacidade competitiva da empresa.
Inovar passou a ser mais que uma palavra é atualmente um dos fundamentos incorporados à Gestão de Pessoas.
O empreendedorismo seja ele independente ou corporativo, é inovação.
Por isso, muitas empresas estão começando a despertar para a importância de estimular o lado empreendedor de seus colaboradores, visando a agregar valor para as atividades desempenhadas e iniciar novos projetos internos em diversas esferas, estimulando a inovação.
O Intraempreendedorismo cria compromissos mais firmes e atuantes dos funcionários, através do melhor uso e do aproveitamento dos talentos; evita a frustração funcional e é percebido como um dos caminhos para a prevenção da estagnação corporativa e do declínio.

Mas como funciona esse modelo de gestão?

Essa estratégia usada na sua célula de trabalho gera uma maior competitividade, resultando em melhorias na satisfação pessoal e um maior comprometimento ético e moral com a empresa; pressupõe-se o desenvolvimento de mercados dentro da própria organização através de células independentes, buscando sempre acelerar os processos produtivos, melhorar a qualidade do produto final. 
Com a revisão das atividades, o Intraempreendedor, busca qualificação funcional contribuindo para a implementação de novas tecnologias com o objetivo de melhorar e tornar mais inovadores as tecnologias atuais, reestruturando muitas às vezes os processos da organização.  
Em seu artigo “Intraempreendedor se destaca no mercado”, no Portal Administradores.com.br, Renata Aquino escreve sobre a importância das empresas buscarem profissionais com esse perfil ( disponível  em http://www.administradores.com.br/informe-se/informativo/intra-empreendedor-se-destaca-no-mercado/4149/).
“Não basta mais ter somente diploma de graduação e especializações para se destacar no mercado de trabalho. As corporações querem cada vez mais profissionais que tragam soluções inusitadas para seus problemas, sejam pró-ativos e inovadores, ou seja, que tenham um perfil intra-empreendedor. Basicamente, eles querem que os funcionários apliquem as características empreendedoras em prol da própria empresa”
Apesar de parecer muito simples no papel, a sua implantação na realidade é muito difícil, pois, necessita de mudanças radicais na estrutura ideológica da empresa e disposição em assumir riscos. 



A busca incessante em transformar idéias, criar novos desafios e buscar através delas novas realizações, torna-se parte fundamental da organização mais pró-ativa e assim inserir o processo empreendedor como uma ferramenta de transformação corporativa.
Pode-se concluir que, por meio das pessoas, em um ambiente de mudanças, as organizações têm a oportunidade de criar e desenvolver novos negócios corporativos, otimizando recursos, processos e resultados; evitando a perda maciça de seus melhores funcionários.

Autorizada a reprodução total ou parcial deste Artigo, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de trechos ou partes, em qualquer sistema de processamento de dados.


2 comentários:

  1. ola vim conhecer seu espaço , sou um dos seus amigos na red dihitt , gostaria de q vc tbm conhecesse o meu e por favor se poder me segue ok espero vc lahclica para entra no site

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo Blog. Busco parcerias para meu site Supertech componentes eletrônicos, entre em contato supertech@supertech-comp.com.br Fico no aguardo !

    ResponderExcluir

A Engenharia no Dia a Dia - No ar desde Maio de 2009

Navegando no Conhecimento

Top Sites Elétrica / Tecnologia

O Brasil Sustentável

Na Blogsfera

Mary PopPowered by BannerFans.com
create your own banner at mybannermaker.com!Quanta Besteira - Humor sem FrescuraCinema Jogos

Entre Amigos

Minha lista de blogs

Googlando pela Web

GOOGLE ART PROJECT Tour pelos Museus do Mundo GOOGLE MAPS Rotas, Ruas e Trânsito GOOGLE LIVROS Livros a um Clique GOOGLE SCHOLAR A sua Fonte de Pesquisa em Trabalhos Acadêmicos

Rodapé

Share |
original feed A Engenharia em Feed
Link-Me20 Minutos
This website has page rank 3. Information provided by WebmasterHandyTools.com Creative Commons License
Termos de Uso
Copyright © 2009 - 2010
Engenharia no dia a dia / por Engenheiro Jorge Paulino
Melhor visualizado com Firefox - 1024x768
<< Voltar ao Início da Página
Related Posts with Thumbnails