15 de maio de 2012

Melhoria de Processos através do Programa Six Sigma



Por Jorge Paulino
Engenheiro Eletricista e de Produção


O princípio fundamental do Six Sigma é a utilização de um conjunto de práticas, com o objetivo na redução da variabilidade nos processos, eliminando defeitos ou falhas nos produtos e serviços.
O seu uso sistemático, além de aumentar expressivamente a performance, melhora a lucratividade por meio da “melhoria” da qualidade de produtos e processos independente do porte da empresa; se tornou uma realidade e uma solução ótima de médio e longo prazo, espalhando para um crescente número de áreas funcionais dentro das empresas.
O Six Sigma também é definido como uma estratégia gerencial disciplinada através da aplicação de métodos estatísticos e ferramentas da gestão da qualidade, que promove mudanças nas organizações; fazendo com que se chegue a melhorias nos processos, produtos e serviços, produzindo uma satisfação na relação Empresa X Cliente.
Na década de oitenta, a gigante das telecomunicações Motorola, começou a elaborar um programa que tinha como um dos objetivos principais a confiabilidade do produto final, a redução de perdas e a diminuição das sucatas. O objetivo era reduzir a taxa de falhas em seus processos de manufatura.
A Motorola revolucionou a melhoria da qualidade e nos processos de negócios com o seu programa Six Sigma focando a competitividade global, mapeamento os processos e implementando um gerenciamento participativo baseado na busca da melhoria e da qualidade, visando atingir a satisfação do cliente em cinco anos.
A definição de Six Sigma também evoluiu, principalmente pela introdução de novas ferramentas e a adaptação de outras, de forma a se adequar às necessidades do projeto e assim atingir um nível de qualidade que satisfaça o consumidor e minimize as perdas do fornecedor. Em outras palavras, ela contempla as características de outros modelos de qualidade.
A implementação do Six Sigma não é de fácil compreensão por parte de muitos funcionários, daí a necessidade de treinamentos e aprimoramentos nos modelos e projetos evitando os impactos nessas mudanças, criando uma cultura (mentalidade) que coloca a qualidade e a confiabilidade como um compromisso de excelência.


No site da SoftExpert Software, tem um excelente artigo Six Sigma – Estratégias de Gestão de Negócios, abaixo reproduzido e disponível em http://www.softexpert.com.br/norma-seis-sigma.php.

O Programa Seis Sigma nasceu na empresa Motorola na década de 80 e, atualmente, é aplicado tanto em processos de negócios quanto em processos de manufatura, revolucionando o ambiente empresarial devido à quantidade de ferramentas utilizadas.

Seis Sigma é um conjunto de ferramentas e técnicas baseadas em fatos e orientadas a ajudar um negócio a proporcionar benefícios financeiros por meio de melhorias contínuas.

Tecnicamente, Seis Sigma se apresenta como um programa baseado em mensurações, onde a estatística é o principal meio utilizado para auxiliar à tomada de decisão, e tem por objetivo aumentar o nível de qualidade dos processos até atingirem o nível Seis Sigma, o que significa ter uma margem de apenas três erros em um milhão de vezes que se executa uma tarefa.

No coração da metodologia está o modelo DMAIC (definir, medir, analisar, implementar melhorias, controlar) para processos existentes que estejam abaixo das especificações e necessitando melhorias incrementais. O processo DMADV (definir, medir, analisar, desenvolver, verificar) é um sistema de melhoria utilizado para desenvolvimento de novos processos ou produtos em níveis de qualidade Seis Sigma. Também pode ser empregado se um processo atual necessita mais que somente uma melhoria incremental. Os processos Seis Sigma são executados por pessoas certificadas nos níveis Green Belt (cinturão verde) e Black Belt (cinturão negro) e são supervisionados por Master Black Belts.


A metodologia Seis Sigma passa por uma análise preliminar de definição do problema e, em seguida, utiliza as ferramentas estatísticas e de qualidade com o objetivo de transformar as informações em conhecimento necessário à solução do problema. As ferramentas estatísticas e o conhecimento técnico devem ser sempre utilizados integrados a uma metodologia de solução de problemas para aumentar a eficiência.

O objetivo estratégico do programa consiste em melhorar os processos, reduzir sua variabilidade em relação a uma meta específica e, consequentemente contribuir para um maior controle dos resultados obtidos.

O SoftExpert Excellence Suite assegura a conformidade com diversas regulamentações, incluindo a Seis Sigma. O SoftExpert Excellence Suite permite aumentar a eficiência de seus processos da qualidade, minimizar os altos custos da conformidade e colocar rapidamente novos produtos no mercado.

Cada solução do SoftExpert Excellence Suite atende um requisito chave, como mostrado abaixo:

Processo DMAIC/DMADV
      Solução SoftExpert
D - Definir: Defina as metas do projeto e os entregáveis aos clientes (internos e externos).
Defina clientes e requisitos.
Desenvolva a declaração do problema, metas e benefícios.
Identifique o patrocinador, donos do processo e o time.
Defina os recursos.
Avalie o principal suporte organizacional.
Desenvolva o plano de projeto e os milestones.
Desenvolva o mapa do processo de alto nível.
Funcionalidade para Solicitação de Iniciativas (proposta de projeto e melhoria de processo).
O aplicativo de Gerenciamento de Projetos e Portfólio auxilia a obtenção de requisitos dos clientes, o desenvolvimento de um business case consistente, o desenvolvimento de um plano de projeto e o termo de abertura do projeto, especificando os recursos necessários, restrições, premissas, fronteiras e outros detalhes, com as informações podendo ser alimentadas e atualizadas ao longo da vida do projeto.
Funcionalidade de gestão de documentos e formulários para capturar o termo de abertura, a declaração de escopo, entre outros documentos, como os físicos.
 Permite a configuração de atributos do projeto, atividades, recursos etc.
Estabelece facilmente os papéis, habilidades, competências dos recursos e seus relacionamentos.
M - Medir: Meça o processo para determinar o desempenho atual. Quantifique o problema.
Defina defeito, oportunidade, unidade de medida e indicadores.
Mapeie o processo detalhado da área apropriada.
Desenvolva o plano de coleta de dados.
Valide o sistema de medição.
Colete os dados.
Inicie o desenvolvimento da relação Y=f(x).
Determine o potencial do processo e a linha de base Sigma.
O Aplicativo de Controle Estatístico do Processo (CEP) permite a coleta dos dados de forma manual ou automática e o armazenamento em banco de dados centralizado e seguro, permitindo análises futuras por meio dos aplicativos de cartas de controle, nativos da ferramenta.
O Gerenciamento de Processo permite a representação gráfica do processo, descrevendo as entradas, saídas e as unidades de atividade. Representa o processo completo, permitindo a análise e otimização do workflow.
 O simulador de processo permite análise facilitada e revisão do processo.
O Workflow engine automatiza todo o processo e permite a comunicação e colaboração do time do projeto.
O Aplicativo de Análise de Sistemas de Medição (ASM) auxilia a identificação de problemas no processo. Classifica as variações nas seguintes categorias: Bias, Linearidade, Estabilidade, ANOVA e Repetitividade & Reprodutividade, que auxilia a mensuração da eficácia dos medidores, réguas e outros instrumentos de medição.
A - Analisar: Analise e determine a causa raiz do defeito.
Defina as metas de desempenho.
Identifique os passos do processo que agregam e os que não agregam valor.
Identifique as fontes de variação.
Determine a(s) causa(s) raiz.
Determine alguns X's vitais do relacionamento Y=f(x).
O aplicativo de Controle Estatístico de Processo permite a análise dos dados coletados previamente. Algumas das ferramentas utilizadas são: Histogramas, Gráfico de Pareto, Gráfico de Sequência, Diagrama de Dispersão, Diagrama de Causa e Efeito (espinha de peixe) e 5 Porquês.
O simulador de processo permite facilmente a análise e revisão do processo.
I – Implementar melhorias: Implemente as melhorias no processo por meio da eliminação de defeitos.
D - Desenvolver: Detalhe o processo para atender às necessidades do cliente.
Execute um projeto de experimentos.
Desenvolva soluções potenciais.
Defina tolerâncias operacionais do sistema potencial.
Avalie modos de falha do sistema potencial.
Avalie melhorias potenciais por meio de estudos piloto.
Corrija/Reavalie a solução potencial.
A metodologia contida no FMEA da SoftExpert permite:
Analisar o modo potencial de falha do seu processo ou produto;
Analisar o efeito resultante destas falhas;
Analisar as causas potenciais e seus riscos;
Antecipar e quantificar a probabilidade de problemas;
Priorizar ações necessárias para mitigar o risco associado à falha.
O simulador de processo permite facilmente a análise e revisão do processo.
 Workflow e alertas configuráveis também auxiliam o controle do processo e notificações automáticas.
Dados do Controle Estatístico (CEP) de Processo identificam restrições, tempos de espera e outras fontes de atraso no processo.
O CEP também permite encontrar variações no processo, reduzindo o desperdício e a probabilidade de que surjam problemas mais para frente.
Oriente e gerencie a execução do projeto.
Utilize workflow para iniciar, comunicar, acelerar e controlar a implementação dos trabalhos.
Timesheet permite aos recursos que informem suas horas e esforços para controle do progresso.
Riscos, questões, alterações, ou qualquer exceção podem ser caracterizadas, e recursos podem ser designados e monitorados.
C - Controlar: Controle o desempenho do processo futuro.
V - Verificar: Verifique o desempenho do projeto e sua habilidade de atender às necessidades do cliente.
Defina e valide o sistema de monitoramento e controle.
Desenvolva procedimentos e padrões.
Implemente o controle estatístico de processo.
Determine a capabilidade do processo.
Desenvolva o plano de transferência e entregue para o dono do processo.
Verifique os benefícios, economia/contenção de custos e aumento do lucro.
Encerre o projeto e finalize a documentação.
Comunique a empresa e celebre.
Aplicativos analíticos textuais e gráficos para monitorar projetos e processos.
Meça o resultado dos processos e produtos com análises estatísticas, volume de alterações e múltiplos indicadores de saúde do projeto (custo, prazo, alocação de recurso) com controles de limites superior e inferior representados por cor e imagens.
Utilize workflow para iniciar o encerramento de um projeto e obter a aprovação de todas as partes interessadas.
Todo o conteúdo do projeto pode ser arquivado ou utilizado como modelo para futuros projetos, padronização de processos, análise de lições aprendidas e auditorias.

Autorizada a reprodução total ou parcial deste Artigo, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de trechos ou partes, em qualquer sistema de processamento de dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Engenharia no Dia a Dia - No ar desde Maio de 2009

Navegando no Conhecimento

Top Sites Elétrica / Tecnologia

O Brasil Sustentável

Na Blogsfera

Mary PopPowered by BannerFans.com
create your own banner at mybannermaker.com!Quanta Besteira - Humor sem FrescuraCinema Jogos

Entre Amigos

Googlando pela Web

GOOGLE ART PROJECT Tour pelos Museus do Mundo GOOGLE MAPS Rotas, Ruas e Trânsito GOOGLE LIVROS Livros a um Clique GOOGLE SCHOLAR A sua Fonte de Pesquisa em Trabalhos Acadêmicos

Rodapé

Share |
original feed A Engenharia em Feed
Link-Me20 Minutos
This website has page rank 3. Information provided by WebmasterHandyTools.com Creative Commons License
Termos de Uso
Copyright © 2009 - 2010
Engenharia no dia a dia / por Engenheiro Jorge Paulino
Melhor visualizado com Firefox - 1024x768
<< Voltar ao Início da Página
Related Posts with Thumbnails